Voltar a notícias

Maratona hacker reuniu 60 competidores no Sesi Barra Mansa no desafio de criar a plataforma virtual do Centro Tecnológico do Sul Fluminense

A maior maratona tecnológica do Sul Fluminense aconteceu neste fim de semana, dias 10 e 11 de março, na quadra do Sesi Barra Mansa. Ao todo, 60 competidores, entre estudantes e profissionais, participaram do evento cujo objetivo era a criação de uma plataforma virtual para o Centro Tecnológico do Sul Fluminense.

Equipe formada por estudantes e designer de jogos é vencedora do desafio

Depois de 28 horas ininterruptas de trabalho, a equipe formada por três estudantes do curso de Sistema de Informação do UBM (Centro Universitário de Barra Mansa) e por um designer de jogos foi a grande campeã do Hackathon 2018 APL Metalmecânico.

“O Hackathon APL Metalmecânico foi um marco no Sul Fluminense. A maratona reuniu as principais instituições de ensino que atuam com inovação e tecnologia na região e o setor produtivo, por meio das entidades que fazem parte do APL. Foi uma grande experiência para todos os envolvidos e comprovou, mais uma vez, que unidos podemos vencer desafios e ultrapassar barreiras”, afirmou o professor Efraim Medeiros, um dos organizadores do evento.

O grupo formado pelos estudantes do UBM, Bruno Moura, Gustavo Bueno e Luis Felipe Costa, e pelo designer de jogos Bruno Chaves conquistou o prêmio de R$ 5 mil. Os jovens contam que, apesar de cansativo, participar da maratona foi uma experiência única. “Não só aprendemos sobre programação, como tivemos oportunidade de saber mais sobre marketing, gestão de processos e vendas. Foi um evento enriquecedor”, comentou Gustavo, que ao lado dos colegas estudantes participou de um hackathon pela primeira vez.

Para o designer de jogos Bruno Chaves, a maratona contribuiu para adquirir novos conhecimentos. “Foi a quarta vez que participei de um hackathon. Não conhecia os outros membros do grupo e nem suas habilidades, mas conseguimos transformar os problemas em oportunidades. Formamos uma equipe multitarefas que, ao final, conseguiu apresentar um projeto que atendeu às expectativas dos organizadores”, revelou Bruno.

Agora, a equipe vencedora tem mais 30 dias para aperfeiçoar e finalizar o sistema. “Essa plataforma vai ser a base de gerenciamento do Centro Tecnológico do Sul Fluminense, servindo como um banco de dados que irá conectar as ofertas de maquinários e laboratórios ociosos disponíveis nas empresas, bem como de profissionais qualificados no Sul Fluminense, e as demandas por inovação em produtos do setor produtivo da região”, ressaltou Efraim. A apresentação da versão final do sistema acontecerá no dia 11 de abril, no Sesi Barra Mansa.

O Hackathon 2018 foi uma realização do APL Metalmecânico do Médio Paraíba Fluminense – formado pela FIRJAN, Metalsul, Sebrae/RJ e Governo do Estado – e das seguintes entidades educacionais: Senai, UniFOA, UBM, IFRJ, AEDB, UGB e UFF, além do Exército Brasileiro, representado pela Aman.

Sobre o Centro Tecnológico do Sul Fluminense

O Centro Tecnológico do Sul Fluminense visa proporcionar para a região um ambiente com estruturas físicas necessárias para a integração entre micro, pequenas, médias e grandes indústrias, instituições de ensino e demais sistemas de incentivo.

A iniciativa pioneira é um dos principais pleitos dos empresários da FIRJAN na Agenda Regional do Mapa do Desenvolvimento (2016-2025) e tem ganhado cada vez mais corpo. Empresas de todos os portes poderão inovar e desenvolver novas tecnologias sem sair da região, tornando-as ainda mais competitivas.

O centro físico será implantado em um terreno de 200 mil m², à beira da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), sentido Rio de Janeiro, na altura do Km 261, em Barra Mansa.

Confira as equipes vencedores do Hackathon 2018 APL Metalmecânico.

– 1º lugar (R$ 5 mil): Bruno Moura, Gustavo Bueno, Luis Felipe Costa e Bruno Chaves

– 2° lugar (R$ 2 mil): Gabriel Alves, João Pedro Ramos, Matheus Nogueira e Thiago Oliveira.

-3º lugar (1 mil): João Victor Nascimento, Guilherme Machado, Matheus Gonçalves e Ahmad Abbas.